O DISCURSO DA ADESÃO VOLUNTÁRIA NA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Projetos Written by  Terça, 02 Fevereiro 2016 00:00 font size decrease font size increase font size
Rate this item
(0 votes)

A realização de uma pesquisa, dadas às devidas proporções, contribuirá para o surgimento de reflexões de rumos da intervenção profissional e perspectivas se abrem à medida que possibilita o levantamento de informações e percepções sob a ótica dos atores institucionais. Entre tantos aspectos um voltar para as próprias questões. Assim, o

 

Objeto de Análise – O discurso da adesão voluntária nos Relatórios de Pesquisa de Autoavaliação Institucional da UFMT.

E nesse retorno reflexivo, inevitavelmente, necessita-se de fazer uma seleção dos objetivos pessoais, profissionais e institucionais, destacando os motivos e a relevância de cada um deles (RODRIGUES, 2006, p.110). Partindo dessas premissas, são objetivos dessa investigação:

Objetivo Geral - Analisar o discurso referente a Adesão Voluntária da comunidade universitária contidas nos Relatórios de Autoavaliação Institucional.

Objetivos Específicos - Analisar o processo de autoavaliação institucional na UFMT à luz das posições assumidas pelos agentes das CPA contidas nos relatórios anuais de autoavaliação. Verificar o discurso da não premiação ou punição e adesão voluntária na autoavaliação institucional; Perceber os desafios que a CPA/UFMT enfrenta no exercício da autoavaliação Institucional; Abordar o vínculo das CPA com os órgãos governamentais, com as instâncias decisórias das IES, e, sobretudo, com a comunidade acadêmica, discente, docente e técnico-administrativo; Analisar as formas de inserção nas IES das diretrizes do SINAES, a partir das experiências, operacionalização e produção das CPA; a partir dos objetivos se estabelece as seguintes questões norteadoras: Os relatórios de Autoavaliação da UFMT conseguem demonstrar a realidade institucional, implicação de uma política educacional, de rankeamento com bases neoliberais, a qual torna os profissionais cada vez mais preocupados em garantir o conceito máximo da universidade e de seus cursos?

Os membros da CPA, ao elaborar a pesquisa de campo e os relatórios de autoavaliação, se comprometem com o instrumento de trabalho1·, preocupando-se com a devida e necessária competência técnica, teórico-metodológica, compromisso ético e político, além de não posicionar-se, pautado no senso comum, imbuído de preconceitos e estereótipos?

A Comunidade universitária interna e externa responde a proposta de autoavaliação do SINAES?

A autoavaliação institucional na UFMT cumpre com o proposto na Lei 10.861 de 14 de abril de 2004, principalmente no que se refere a motivação para a adesão voluntária dos membros da Comunidade universitária interna e externa?

Profa. Dra. Maria de Souza Rodrigues – UFMT – Cuiabá-MT.

Projeto de pós-doutoramento no Programa de Mestrado em Letras, da Unidade Universitária de Campo Grande-MS.

 

Vinculado ao NEAD – Núcleo de Estudos em Análise do Discurso.

Read 421 times Last modified on Quarta, 03 Fevereiro 2016 12:17