A MAIS NOVA MESTRA EM LETRAS DA UEMS-MS: LUCIANA GOMES DA SILVA

Rate this item
(0 votes)

Nesta sexta-feira (04/03), às 14:30h a Luciana Gomes da Silva defendeu sua dissertação, Mestrado Acadêmica da UEMS de Campo Grande, pesquisa titulada de “O Discurso da Cobertura Jornalística das Eleições Presidenciais de 2014: uma análise das posições ideológicas da ‘Veja” e “Carta Capital””. O trabalho foi orientado pelo Prof. Dr. Marlon L. Rodrigues, a banca foi composta, além do orientador, pelo Prof. Dr. José Barreto dos Santos, Profa. Dra. Rosimar Regina Rodrigues de Oliveira.

 

 

Segue o resumo da pesquisa:

Resumo: As eleições presidenciais de 2014 foram destaque na imprensa brasileira naquele ano, sobretudo nas principais revistas semanais de informação. A maioria das capas continha discursos acerca da candidata do Partido dos Trabalhadores (PT), Dilma Rousseff, e reportagens que não tinham relação com as eleições, mas que causava um efeito de sentido negativo em relação à presidenta e a sua candidatura a reeleição. As condições de produção destes discursos eram pouco favoráveis. Naquele momento, uma considerável parcela da população rejeitava Dilma Rousseff. Consequência das manifestações de junho de 2013 e da crise política e financeira que o país enfrentava. Portanto, nesta dissertação de mestrado busca-se analisar os objetos “política”, “mídia” e “discurso”. Para isso, serão analisados os discursos das capas de Veja e Carta Capital, no período da campanha eleitoral, iniciada em 6 de junho, até a edição pós-vitória. A escolha destas revistas como objeto de estudo justifica-se devido a Veja pertencer a um importante coglomerado de mídia brasileiro, o Grupo Abril, e manter uma linha editorial pautada na política partidária de esquerda, e Carta Capital representar outro modelo de publicação: uma revista independente que mantém uma póstura de esquerda. Desta forma, o problema a ser analisado nesta pesquisa busca compreender de que forma estas publicações construíram a imagem discursiva de Dilma Rousseff neste período. E, assim, entender o sentido do poder de influência destes veículos discursivos. Os veículos de comunicação sustentam seus discursos conforme suas posições ideológicas. E estes discursos circulam “disfarçados” de notícias, que serão fontes de informação para o sujeito leitor. Além disso, o sujeito jornalista, na maioria dos casos, é um mero transmissor da posição ideológica do grupo de comunicação em que trabalha. Esta dissertação divide-se em quatro capítulos. O primeiro destina-se aos pressupostos teóricos. Como este trabalho fundamenta-se na teoria da Análise do Discurso Pecheutiana (ADP), será revisto sua fundação na França em 1969, com a publicação da obra Análise Automática do Discurso, de Michel Pêcheux, e alguns de seus conceitos fundamentais, como discurso, sujeito, ideologia, paráfrase, formações imaginárias, formações discursivas e deslocamento. No segundo capítulo tratará do estado da arte. Deste modo, será elucidado o cenário da mídia no Brasil e suas características, como o monopólio da comunicação por grandes conglomerados de mídia. O terceiro capítulo aborda o tema eleições, momento importante para as sociedades democráticas em que os cidadãos escolhem seus representantes por meio do voto, que em sua versão moderna acontecem, principalmente, em espaços fechados, como debates eleitorais televisionados e propagandas políticas. No quarto, e último, capítulo serão analisados os discursos de Veja e Carta Capital em relação a então candidata à reeleição, Dilma Rousseff. Os resultados apontam que, alguns discursos repetem-se em várias edições e que cada revista segue uma “linha” de discurso em relação a presidenta. Sendo uma contrária a reeleição (Veja) e outra (Carta Capital) a favor. )

 

Em breve a dissertação estará disponível no site do Mestrado Acadêmico.

 

Read 946 times