PROFA. DRA. CRISTIANE SCHMIDT ENTREGA RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO PÓS-DOUTORAL – MESTRADO DE LETRAS CAMPO GREANDE-MS Featured

Notícias Written by  Terça, 28 Agosto 2018 00:00 font size decrease font size increase font size
Rate this item
(1 Vote)

AS VOZES DISCURSIVAS DE PROFESSORAS DE LÍNGUA ESTRANGEIRA SOBRE O LIVRO DIDÁTICO

 

Cristiane Schmidt

Supervisor Prof. Dr. Marlon Leal Rodrigues

NEAD/UEMS

RESUMO: Este artigo de Estágio Pós-doutoramento versa sobre o papel do livro didático na perspectiva de professores de ensino de língua estrangeira no Curso de Letras, especificamente na Unioeste situada na Região Oeste do Estado do Paraná. Apesar da centralidade dos materiais didáticos, sobretudo do livro didático enquanto elemento institucionalizado nas aulas de línguas estrangeiras, os estudos com foco nesses materiais constituem-se incipientes. Além disso, os livros didáticos de línguas estrangeiras, em sua maioria, não são produzidos no Brasil e tendem a não contemplar a realidade linguística e sociocultural nacional. Considerando essa problematização, o estudo analisa as vozes de professoras/usuárias de livros didáticos de língua estrangeira, no sentido de compreender em que medida as vozes discursivas dessas profissionais têm repercussão no papel desses materiais, assim como no processo de ensino. Como fundamentação teórica, a pesquisa dialoga com os pressupostos da Análise de Discurso e da Linguística Aplicada, estabelecendo relações com o livro didático de língua estrangeira - objeto desta investigação. Para tanto, a metodologia da pesquisa adotada vale-se da abordagem qualitativa, baseada no método interpretativista/discursivo. Como procedimentos metodológicos adotados para a geração de dados, consta a realização de cinco questionários com docentes, usuários de obras didáticas de língua estrangeira e a análise das vozes discursivas dessas professoras. Como resultado, as vozes discursivas das professoras participantes do estudo, destacam convergência e divergência quanto ao papel do livro didático e às concepções de língua e cultura que subjazem os materiais adotados na formação de professores de línguas.

PALAVRAS-CHAVE: Análise de Discurso e Linguística Aplicada; Livro didático de língua estrangeira; Formação docente no oeste-paranaense.

1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

A motivação para o desenvolvimento desta pesquisa encontra-se no ensino de cultura e língua estrangeira[1] em espaços institucionalizados, os quais são mediados por materiais didáticos, sobretudo pelo livro didático, sendo este concebido como um dos elementos mais característicos e, “por isso, já se institucionalizou, ou seja, apresenta-se como algo natural, que constitui o processo de educação (PESSOA, 2009, p. 53).

Depreende-se que na realidade brasileira a presença do livro didático seja ainda mais recorrente, visto ser um recurso essencial, constituindo-se, por vezes, no único material disponível no ensino e aprendizagem de idiomas. Ao mesmo tempo, esse material representa uma fonte de saber da língua/ cultura a ser apreendida, em especial no âmbito da educação básica, mas também no ensino superior.

Pesquisas recentes sobre o papel do livro didático de línguas estrangeiras mediando a prática pedagógica têm demonstrado que ele é um recurso de qual dispõem professores e alunos para terem contato com a língua e a cultura estudadas. Para Uphoff, os “materiais didáticos pressupõem, portanto, um certo modo de trabalho pedagógico e incentivam determinados processos de ensino do idioma” (UPHOFF, 2009, p. 55). Nesse sentido, destinar um lugar para a escuta de vozes de docentes sobre o livro didático, corresponde com essa perspectiva.

Considerando essas delineações preliminares, o objetivo geral da presente pesquisa é analisar as concepções teórico-metodológicas de professoras formadoras – usuárias de obras didáticas –, acerca do papel do livro didático de língua estrangeira adotado na Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Parte-se, dessa forma, do pressuposto de que o livro didático de língua estrangeira orienta a atuação docente no contexto de formação de professores no Curso de Letras na Unioeste[2].

Assim, o estudo orienta-se nas seguintes questões: (i) Quais docentes adotam livros didáticos no processo de formação de futuros professores de línguas estrangeiras no Curso de Licenciatura em Letras com habilitações em Língua Portguesa e em Língua Estrangeira (Alemão, Inglês e Espanhol) na Unioeste, Campus de Marechal Cândido Rondon? (ii) Quais concepções de língua, cultura e de material de ensino estão imbricados nesse processo formativo?

Considerando o exposto, as seções que compõem este artigo contemplam, incialmente estas Considerações Iniciais, seguida pela seção 2 em que se aborda alguns fundamentos da Linguística Aplicada e da Análise de Discurso, com ênfase na discussão sobre o livro didático na formação docente. Na seção 3 desenvolve-se os pressupostos metodológicos, dando destaque para a geração do corpus a partir de das vozes discursivas das professoras que propiciaram o desenvolvimento deste estudo. Na seção seguinte – a seção 4, faz-se uma descrição e discussão sobre o corpus e analisa-se o discurso de professoras sobre o livro didático de língua estrangeira no processo de formação de professores e, finalmente, na seção 5 tece-se acerca das principais conclusões desta pesquisa.

 



[1] O termo ‘Língua Adicional’ é considerado mais adequado ao contexto acadêmico, pelo fato de englobar tanto as línguas estrangeiras, como as línguas minoritárias, assim como qualquer variedade linguística, sendo ela estrangeira ou não. Contudo, optou-se pelo uso de língua estrangeira, em concordância com a terminologia empregada nos documentos oficiais e nas obras didáticas de línguas contemporâneas.

[2] Esse pressuposto está pautado nas pesquisas de Uphoff (2008; 2009), Tilio (2008, 2012), Pessoa (2009) e Schmidt (2016) voltadas para o papel do livro didático no ensino de idiomas e na formação de professores de línguas estrangeiras no ensino superior brasileiro. 

Read 163 times Last modified on Terça, 28 Agosto 2018 02:38